O ERMO QUE MONOLOGA

Sentei-me hoje onde costumávamos conversar por oras.
Mesma paisagem, mesmo tempo fresco de todos os dias.
Ouvi e vi os pássaros sobrevoarem cantando sobre os carros estacionados e pousar numa cerca, vi as mesmas árvores balançando as folhas com a brisa suave da tarde.
Refiz em pensamento todo esse caminho pra ver se te encontrava.
Tudo estava como sempre e como deveria estar exceto por você que aqui não habita mais.
Voltar a esse lugar, ilusoriamente me devolve um pouco de você…da sua voz, do seu sorriso.
Vejo duas pessoas conversado alegremente, rindo e isso me faz lembrar quantas vezes rimos juntos aqui e quanta coisa dividimos, coisas boas e não tão boas.
É inútil explicar pra qualquer pessoa a falta que você me faz porque ninguém compreende, talvez apenas nós nos entendamos, posso dizer que você me completava quanto a mim nunca saberei o meu espaço de fato na sua vida.
Eu finjo que está tudo bem mas NÃO, não esta e jamais será como antes.
Este lugar não será mais o mesmo pra mim , ele antes não tinha sentido algum era apenas um rota no meu caminho depois passou a ser um cantinho especial porque você estava aqui e hoje ele passou a ser uma lembrança prazerosa com gosto amargo porque falta você nesse cenário.
Queria tanto voltar no tempo e poder ter tido você mais do que tive, muito mais …mas acabou você se foi pra não voltar mais, não pra mim.

Questiono-me coisas tolas do tipo: Porque não te ouço mais? E é claro que eu não poderia ouvir-lhe, você se foi.

O que foi feito daquele carinho que existia entre nós dois..?
Versos escritos, palavras dedicadas e delicadas
O que foi feito do nosso mundo?

O que foi feito de nós dois?
Você se importava de ser meu presente logo pela manhã e meu boa noite.

Eu costumava ser a sua notificação favorita

Um dia minha saudade e minha emoção pararam de ser uma novidade pra você e nesse dia começamos a nos desabitar.

Eu não sei a quanto tempo estou sentada aqui sozinha, não sei quanto tempo passou.

Quanto dura um segundo …?

Eu não sei quanto dura o tempo, só sei que sem você ele me parece infinito.

A saudade e a falta que você me faz são imensas, olho em volta e custo a acreditar que as coisas estão cada uma no seu devido lugar.

Dói saber que você dobrou essa esquina e a pena que sei que você esta sentindo de mim é ainda mais deprimente.

Não quero culpas então prefiro que acredite que esta tudo bem nos poupemos da piedade..

Eu morro um pouco a cada segundo, tenho picos de risada e de tristeza, penso que o melhor é fingir um sumiço e fingir que não me importo mais.

Alguém disse: “Liberte-se”…mas eu ainda não consegui e tive a certeza de que ninguém é capaz de saber a proporção do que sinto aqui dentro, nem você porque se soubesse choraria e voltaria correndo pra mim.

O tempo vai se encarregar de apagar aos poucos a memória de nós dois e até por isso eu lamento acredite…

Sempre fomos bons juntos e restou no final desse Ermo apenas rótulos, tentativas de saber quem foi mais justo, na realidade nada disso pra mim importa.. Nunca me importou estar certa ou errada a única coisa que importava era “você”, mas nem meu pedido de perdão teve o poder de devolver o que já foi um dia.

Tudo isso é muito difícil pra mim sem você, na verdade é praticamente impossível, mas vou seguindo caminhando com um sorriso de verniz a falar comigo mesma eu sou  um Ermo que monologa.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s