O SONHO – POR TRÁS DA JANELA

Essa noite te vi nos meus sonhos,fazia já algum tempo que não me permitia sonhar com você,

Então me perguntou como foi que você ultrapassou as barreiras e entrou em meus sonhos?

 

Caminhávamos por um bairro qualquer em um dia de sol  lado a lado

A conversar sobre coisas banais sobre o sol daquele dia tão cotidiano e surpreso pra ambos

A conversar pelo olhar sobre coisas nossas , sem dizer uma palavra um ao outro

Mas as palavras gritavam mesmo assim em silencio…

 

Você tentou pegar na minha mão por diversas vezes , mas eu não deixei simplesmente fingi não ver,

Tentou chamar minha atenção de uma forma diferente mas eu dissimulei todas as suas  tentativas .

Fingi o tanto que pude que não entendia a nenhum dos seus  sinais.

 

Penso que se querias ficar, porque partiu?

Porque abriu mão de mim assim tão resolutamente?

Se partiu não volte mais desapareça  em seu caminhos em suas buscas.

 

Se sentes falta dos passeios no fim de tarde, das conversar ou da amizade…esqueça.

Não sou mais a mesma que a quem você virou as costas naquele dia.

 

Entrei e fechei a porta atrás de mim,

Não dei tempo de pedires pra ficar e nem de pedir absolutamente nada

Não olhei pra trás pra porta que bati  ás costas.

E não me importa nada , sinto que não tenho dívidas alguma com você.

 

Passei em frente a janela do meu quarto e vi seu rosto nítido do lado de fora,

Refletindo em todas as vidraças e olhando-me diretamente nos olhos,

Meu coração acelerou e senti vontade de chorar,

Vontade de te bater e vontade de te beijar.

 

Nesse momento de confusão já não soube se me encontrava dentro ou fora da casa

Dentro ou fora de mim mesma…um rapto de emoções…

 

Peguei as cortinas que achei e comecei desesperadamente a cobrir a janela

Cortinas azuis em tons escuros ….cortinas claras com borboletas azuis…

Mas cada vez que eu cobria a janela as cortinas pediam e caiam uma a uma no chão …

Eu sem entender o porque ….elas não se permitiam cobrir seu rosto pela vidraça da janela.

 

Cada vez que as cortinas caiam lá estava você olhando calmamente pra mim

Como se entendesse meu desespero  e fizesse parte dele

Como se fosse cúmplice de uma loucura.

Olhando o meu reflexo , o meu interior…que loucamente tentava se esconder de você.

 

Acordei …..nessa turbulência e inquietação louca tentando fugir de um sonho que já tinha se dissipado.

Em minha mente seu olhar brando de condolência,

Assistindo meu desespero pro trás da janela onde o espetáculo era eu

Você me observava e eu achando que observava você.

De lá de dentro presa eu era a mais exposta figura do desespero infantil de um amor vazio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s